Artigos

 

Título: A Sequência Narrativa em Crianças Surdas - Influência do Ambiente Bilingue

na Aquisição da Estrutura Narrativa

Autor: COUTINHO, Amândio

Assunto: Dissertação de Doutoramento

Local: Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, 2006

URL: http://intranet.fcsh.unl.pt:8080/FCSH/deps/linguistica/trabalhos-academicos/dissertacoes-de-doutoramento-entre-2003-e-2006

Título: Prémio de Mérito Maria Cândida da Cunha 2007

Autor: ajudas.com

Fonte: inr.pt

 

O Dr. Amândio Coutinho é o galardoado do Prémio de Mérito Científico Maria Cândida da Cunha 2007. O prémio deve-se ao seu Projecto "A sequência narrativa em crianças surdas - influência do ambiente bilingue na aquisição da estrutura narrativa", 2006, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, que a Comissão Científica de Análise considerou por unanimidade cumprir todos os requisitos previstos no Regulamento do Prémio. 

Título: "Jovens surdos demoram mais 3 a 4 anos a concluir a escola."

Autor: Dr. Amândio Coutinho.

Fonte: LUSA.


    As crianças surdas demoram mais três a quatro anos que as ouvintes a concluir a escola porque a esmagadora maioria só tem acesso à Língua Gestual Portuguesa aos seis anos de idade.
    Amândio Coutinho, professor no Instituto Jacob Rodrigues Pereira, da Casa Pia de Lisboa, defendeu a criação de escolas onde fosse ensinada a língua gestual desde os primeiros anos de vida e onde fosse dado apoio precoce aos pais. Para o professor e coordenador do primeiro mestrado realizado em Portugal em Linguagem Gestual e Educação de Surdos, que começa hoje na Universidade Católica, o apoio aos pais deve começar logo desde que as crianças nasçam.
"Não é nenhuma tragédia ter um filho surdo, mas é preciso esclarecer os pais para estes não entrarem em pânico", sustentou o especialista, lamentando que o sistema de saúde não consiga responder a estas necessidades, que afectam 15 mil jovens em Portugal.
    Amândio Coutinho adiantou que muitas vezes as crianças são integradas em jardins-de-infância, que não têm resposta adequada, e vivem isolados, "apesar de parecerem que estão integrados".
    "Não é suficiente criar unidades de apoio aos surdos (que fazem parte no sistema de ensino) que integram jovens de dois ou três concelhos e frequentam diferentes anos de ensino", o que contribui para o insucesso escolar das crianças, sublinhou.
    Para inverter esta situação, o professor defende um ensino apoiado em material escrito e visual, uma vez que a segunda língua dos jovens é a Língua Portuguesa escrita.
    Para colmatar as falhas ao nível do ensino para surdos, o Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa e o Instituto Jacob Rodrigues Pereira da Casa Pia de Lisboa organizaram o Mestrado em Língua Gestual Portuguesa e Educação de Surdos.
    Através deste mestrado, pretende-se desenvolver condições para o aprofundamento do estudo científico da Língua Gestual Portuguesa, numa articulação com as novas perspectivas que a língua gestual abre, no que respeita à educação das crianças e jovens surdos, adiantou à Lusa o director do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, Castro Caldas.
    Amândio Coutinho adiantou, por seu turno, que o mestrado irá contribuir para a formação de um corpo docente capaz de introduzir em Portugal a primeira licenciatura para docentes de Língua Gestual Portuguesa.
O mestrado, com duração de dois anos, é especialmente dirigido aos adultos surdos que se sintam vocacionados para o ensino da sua língua às crianças e jovens com deficiências auditivas.